COMENTANDO:
A Síndrome da Boazinha

Vale ressaltar que embora eu aprecie muito livros de autoajuda, nada substitui um acompanhamento de um profissional qualificado.Este é um livro bastante atual, quem não conhece uma pessoa que sofre da “Síndrome da Boazinha”, aquela pessoa que é tão boa, tão boa, que chega até parece ser irreal?Então, se além conhecer alguém você também se identifica com esta Síndrome da Boazinha, acredito que este seja um bom livro para começar novas revoluções.
“ Você sabe que a Compulsão por Agradar tomou controle de sua vida quando você está evitando pessoas simplesmente porque elas podem lhe pedir favores. Como agradadora compulsiva, você é incapaz de dizer “não” a solicitações, mesmo quando está sob pressão do tempo ou realmente não tem vontade, energia ou interesse para atender tais pedidos. ”
Neste livro a autora relata fatos reais vivenciados por pacientes que passaram pelo seu consultório. Por anos Braiker fez analises destes comportamentos vivenciados por seus pacientes e chegou neste livro e seu plano dinâmico de 21 dias para curar a compulsão. Além de bons relatos a autora faz alguns questionamentos que são bastante válidos na busca pelo autoconhecimento.
Ser doadora e boazinha implica em dizer sim aos outros e não para si em tempo integral. Podemos dizer que uma pessoa boazinha tem sua autoestima comprometida e seu desejo por aprovação desajustado, logo, é de suma importância uma ajuda profissional para a realização de alguns ajustes para que as coisas voltem aos seus devidos lugares e o equilíbrio se instale, sem medos.
“Não tente tornar seus relacionamentos à prova de raiva. É muito melhor construir relacionamentos seguros, baseados na confiança, e em que a raiva, quando apropriada, possa ser expressada sem medo por ambas as partes.Permanecer por tempo demais em um relacionamento romântico por não querer magoar o outro transmite falsa ideia de respeito. ”
Gostei muito de todas as colocações contidas no livro, são pertinentes, mesmo assim volto a ressaltar, um livro de autoajuda auxilia, mas não consegue fazer milagres ou substituir um profissional.
Recomendo a todas as mulheres que como eu, tem momentos de bondades extremas. (risos)

Boa leitura para vocês!
Comentando postado em 24/04/2016
Autor: HARRIE B. BRAIKER
Categoria: Adulto
Editora BestSeller
Publicação: 09/05/2011
1ª Edição
Fonte: Link: http://www.harrietbraiker.com/

post de: Sandra Rocdrígues

AUTORIA DO LIVRO

HARRIE B. BRAIKER



Harriet B. Braiker, psicóloga, especialista em gerenciamento de estresse e autora best-seller de livros de autoajuda, incluindo "The Type E Woman" e "O 11 de setembro Syndrome", morreu aos 55 anos.

Braiker morreu no sábado em Huntington Memorial Hospital em Pasadena de insuficiência respiratória após sofrer de pneumonia, disse seu marido, Steven Fink.Um dos primeiros a reconhecer determinados factores de stress que afectam as mulheres, Braiker estabeleceu sua reputação em 1986 com seu livro inovador, "O Tipo E Mulher: Como superar o estresse de ser tudo para todos."Fink disse que sua esposa ficou intrigado no início de 1980 com a pesquisa emergente sobre a personalidade tipo A - homens duros de condução que se tornam vulneráveis ​​à doença cardiovascular pela sua nonstop, o comportamento viciado em trabalho."Mas as mulheres sofrem muito mais estresse do que os homens - um estresse diferente", Fink disse que ela disse a ele. "Os homens podem ser bem-sucedidos no trabalho, mas as mulheres precisam ser bem-sucedidas em uma carreira, como uma mãe, cozinheiro, motorista, esposa, voluntário em instituições de caridade, hostess -. Muito mais."

Outros Posts


PARCEIROS: