COMENTANDO:
CRÔNICA DE UM DESPERTAR

Sabemos que a morte é um assunto complexo e delicado. Em nossa cultura não temos o hábito de falarmos sobre ela, só conseguimos comentar quando ela de fato ocorre com alguém próximo ou quando ouvimos pelos noticiários, mas com a conotação de tragédia.

O livro relata a passagem de Afonso para o plano espiritual e todas as dificuldades e aprendizados vividos por ele nesta trajetória. Tendo em vista que o nosso protagonista, enquanto encarnado, era uma pessoa bem-sucedida, materialista, cheio de apegos e ateu, podemos imaginar toda a dificuldade da sua passagem.

Independente da sua religião, eu o convido a ler, é um livro bastante reconfortante, que traz ensinamentos para a vida, que nos reforça a necessidade de sermos seres melhores, de termos ética e moral e acima de tudo sermos “humanos”.

“Note-se em primeiro lugar que a paciência e a mansuetude devem ser comportamentos básicos do ser humano. Logo, muitas injúrias poderiam até mesmo ficar sem resposta, já que a compreensão no tocante ao descontrole alheio é ato cristão. (...) Dar uma explicação ou responder a um ataque, quando imperioso fazê-lo, pode ser realizado com racionalidade, sem ofender o semelhante. ” (Rubião, pg. 180)

 

Este é um livro que acima de tudo nos fala de amor e respeito.

Sejamos mais resilientes!

 

Autor: ABEL GLASER
Categoria: Adulto
Editora O Clarim
Publicação: 1995
pelo Espírito AFONSO
1ª Edição
Fonte: Link: http://candeia.com/autor.asp?id=5

post de: San Rodrigues

AUTORIA DO LIVRO

ABEL GLASER


Glaser conheceu a doutrina Espírita em 1959, através do livro O Principiante Espírita, de Allan Kardec. Em seguida estudou todas as obras da Codificação Espírita, inclusive centenas de livros de autores encarnados, entre eles: Léon Denis e Cairbar Schutel e desencarnados dentre outros: André Luís, Emmanuel e Humberto de Campos, o que veio a enriquecer seus conhecimentos doutrinários.

Desde 1959 (ainda solteiro) instituiu a prática do Evangelho no Lar com sua mãe e irmãos menores e, no ano seguinte, passou a participar de reuniões no Centro Espírita "Maria Emília de Almeida", localizado no bairro da Liberdade, em São Paulo. Em 1962 iniciou as atividades do "Grupo Irmã Scheilla", hoje Centro Espírita "Irmã Scheilla", e em 1963 foi um dos fundadores do Lar Escola "Cairbar Schutel" que tem por finalidade assistir meninas e meninos que não possuem lar. A Editora Alvorada Nova, inaugurada em outubro de 1996, departamento editorial do Lar Escola Cairbar Schutel, tem sua participação direta.


Outros Posts


PARCEIROS: